ENDEREÇO

Comunidade Santa Paula Elisabete Cerioli
Estrada Velha de Itu, 352 – Vila Márcia
CEP: 06612-250 – Jandira – SP

HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES

1º e 3º  Domingo às 09h00

1º e 3º  Domingo às 09h00

HORÁRIO DAS MISSAS

DADOS HISTÓRICOS

FOTOS HISTÓRICAS

FOTOS ATUAIS

Breve histórico do início da vida da comunidade e da construção do Centro Comunitário e da Capela.

Antes da formação do bairro rezava-se o terço na casa do Senhor Antônio Gonçalves no mês de Junho realizado pelo Sr. Leopoldo. Após o loteamento a localidade recebeu o nome de "Jardim Márcia", em homenagem a primeira neta do Sr. Antônio Gonçalves e coordenadora da Comunidade Casal Márcia e Edison.

Com a chegada de novos moradores na vila, iniciavam-se a reza do terço nas casas de algumas famílias, dirigidos pela D. Olga e D Hagda. 

Celebrava-se também as missas na escola do Bairro, animadas pelo Padre Mário Arnoldi, da Congregação dos Padres da Sagrada Família de Bergamo da Paróquia Nossa Senhora Mãe da Igreja - Jd. Silveira - Barueri. Alguns anos após D. Olga e D. Hilda sentiram a necessidade de criar um centro comunitário para reunir a pequena comunidade nascente. No ano de 1987 a comunidade passou a fazer parte da Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Jandira - SP e, a partir de então a animação passou a ser realizada pelo Pároco Pe. Franco Mazzoleni.

Em 1987 um seminarista com a jovem Tânia, moradora da vila, começaram a preparar crianças para a Primeira Comunhão em sua casa.

Em 1988 foi realizada uma missa solene celebrada pelo Pe. Italo Fani na qual cinco crianças fizeram a primeira comunhão. Nesta ocasião a comunidade passou a ser assessorada por Irmã Angelina com a ajuda das postulantes: Maria Gorete e Ivani da Congregação Nossa Senhora da Consolata. Onde nesta mesma data foi lançado o convite para novos catequistas (Edison e Márcia) e outras pastorais para ajudar no desenvolvimento e criação da comunidade. Em 1990, como ainda haviam algumas pessoas ligadas a antiga paróquia, Pe. Franco fez um trabalho de conscientização comunitária criando a unidade da comunidade em torno da Paróquia Nossa Senhora Aparecida. A partir de então, foi feita uma formação para as lideranças, orientada pela Irmã Angelina.

Iniciou-se uma nova etapa na vida da Comunidade, começamos a venerar a Bem Aventurada Paula Elizabete como nossa Padroeira. Passando também a realizar bingos e festas para angariar fundos para a compra de um terreno com a finalidade de construir o Centro Comunitário. Após a compra do terreno iniciamos mutirões e festas: quantas quermesses foram realizadas no Centro de Jandira, a comunidade participava, comprando na barraca e levando seus amigos.

Estávamos conseguindo construir, já tínhamos feito as salas e iríamos começar a construir a capela.

Em 26/01/2002 quanta emoção, pois nosso pastor D. Francisco iria vir inaugurar a capela, foi uma correria contra o tempo e cada dia que se aproximava era uma vitória, o telhado, a pintura do desenho na frente, a cada obra realizada era comemorado pela comunidade. Foi realizado a inauguração e não poderíamos deixar de agradecer e homenagear uma pessoa que contribuiu muito para a construção da comunidade, muitas vezes até com dinheiro vindo da Itália de um casal de amigos que nos ajudou muito Pe. Ítalo Fani. Nossa comunidade saiu até em uma revista da Itália, contando a história da comunidade.

Após a inauguração ainda havia muitas coisas a serem feitas. Em 2003 terminados o piso da capela e cortamos os bancos.

Em 16/05/2004 o nosso saudoso Papa João Paulo II declara a Bem aventurada Paula Elizabete como Santa Paula Elizabete. Com o passar do tempo fomos conhecendo mais profundamente a vida de Paula Elizabete e sua ligação com nossa realidade, pois somos um bairro afastado da cidade entre divisa de municípios, de famílias pobres e muitas crianças que sofrem a carência de uma família. Hoje somos uma comunidade feliz e nos sentimos abençoados por ter como padroeira e intercessora Santa Paula Elisabete Cerioli. Sentimos quanto ela se faz próxima de nossa realidade e temos imensa alegria em receber o Nosso Pastor Dom Ercílio Turco visitando nossa capela.

Coordenador Geral: Edison e Márcia;

Tesoureiro: Aurélio, Maria Helena e José Omar;

Catequese: Edison, Luana, Sérgio, Monique, Jenifer, Aurélio, Fábio e Jerson

Dizimo: Maria Helena, Márcia e Júlia;

Ministro da Palavra: Aurélio;

Liturgia: Rose, Dione, José Omar, Milena, Fábio;

Música: Edu, José Omar, Fábio;

Limpeza: Lúcia, Zefinha, Cidinha, Gorete, Maria Goes, Luciana, Edite, Márcia, Luana;

Terço: Márcia. 

CALENDÁRIO DA COMUNIDADE

PASTORAIS

CATEQUESE

Todos os domingos após a missa ou celebração.

CANTO E LITÚRGIA

Todos os sábados ás 09:00 hs. 

ADORAÇÃO

Todas as quintas às 20:00 hs.

SERVIÇOS/MINISTÉRIOS

TERÇO

Todas as segundas às 20:00 hs. 

EQUIPE DE LIMPEZA

Todos os sábados período da manhã ou tarde.

REGISTRO DOS EVENTOS

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon

A FÉ CATÓLICA

Em sua primeira carta, São Pedro nos chama a atenção para “estarmos preparados a responder a todo aquele que nos pedir a razão da nossa esperança” (citação livre de I Pd 3,15). A nossa esperança é Jesus Cristo! O mesmo São Pedro, no discurso aos judeus, disse: “Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12).

A fé católica e toda a sua vivência estão centradas em Jesus: “Ele é o Senhor” (citação livre de Fl 2,11). Contudo, o próprio Jesus instituiu Sua Igreja e quis que ela fosse o Seu próprio Corpo Místico (cf. I Cor 12,27)- sacramento universal da salvação de todos os homens. O próprio Senhor resgatou a Sua Igreja com o Seu Sangue; confiou-lhe o sagrado depósito da fé e deu a ela o Seu Espírito para conduzi-la a toda a verdade (cf. Jo 16,13). O Espírito Santo é a alma e a garantia da infalibilidade da Igreja, no que concerne à doutrina católica. Nos dois mil anos de caminhada, o Espírito conduziu a Igreja do senhor e ensinou-lhe todas as coisas, recordando-lhe tudo o que Jesus ensinou (cf. Jo 14,26).

No Credo – símbolo dos apóstolos – encerra-se conteúdo dogmático básico da fé católica. Já no início do cristianismo, “perseveravam eles [os fiéis] na doutrina dos Apóstolos, nas reuniões em comum, na fração do pão (Eucaristia) e nas orações” (At 2,42). Essa doutrina dos apóstolos está encerrada no Credo, nossa profissão de fé. 

Além dos dogmas iniciais, sob a luz do Espírito, a Igreja estruturou todo o arcabouço da fé, sob o comando de Pedro, a quem o próprio Senhor garantiu a infalibilidade, reconhecida de modo definitivo no Concílio Vaticano I (1870). Na pessoa do Papa, a Igreja entendeu que é vontade do Senhor ter o Seu vigário na terra como pedra fundamental da unidade da Sua Igreja. Por isso, a obediência e a submissão ao Papa são características essenciais do catolicismo. Sem o Papa não existe a Igreja. Os antigos padres afirmavam: “Onde está Pedro, está a Igreja; onde está a Igreja, está Cristo”.

Outra característica da fé católica é a devoção aos santos, principalmente à Virgem Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe. Jesus no-la deu aos pés da cruz, dizendo a João: “Eis aí tua mãe” (Jo 19,27b). Essa foi uma doação de Jesus à Sua Igreja e a cada um de nós. Maria é nossa Mãe! Nós, católicos, não a adoramos, pois ela não é uma deusa; nós a veneramos como Mãe muito querida e preocupada com o bem de cada um de seus filhos salvos por Jesus. Sem Maria, Virgem, Imaculada, Mãe de Deus, levada ao céu de corpo e alma, não há catolicismo.

Outro sinal de autenticidade da fé católica são os sete sacramentos, de modo especial a confissão (penitência) auricular e a Eucaristia (comunhão). Através da confissão, Jesus limpa e purifica a Sua Igreja com o Seu próprio Sangue redentor. Através da Eucaristia, nutre os Seus com a Sua própria Carne, Sangue, Alma e Divindade.

A fé católica está baseada na Bíblia, é lógico! Contudo, apoia-se também na tradição e nos magistério dirigido de modo infalível pela cátedra de Pedro. A tradição consiste em tudo o que a Igreja viveu e aprendeu sob a luz do Espírito Santo nesses dois mil anos de vida. O sagrado magistério é todo imprescindível ensinamento acumulado durante os séculos e oficializado pelo Papa. A tradição e o magistério da Igreja garantem a interpretação autêntica da revelação bíblica e constituem a fonte da riquíssima vida litúrgica da Igreja, através da qual prestamos ao Senhor toda a honra, glória e louvor.

A liturgia é também uma das fontes características da fé católica. O calendário religioso é enriquecido pela vivência litúrgica de suas festas: Advento, Quaresma, Páscoa, Pentecostes, Santíssima Trindade, Corpus Christi, Tempo Comum, etc. É toda a vivência religiosa acumulada pela tradição e ensinada pelo magistério da Igreja. 

Além disso, a fé católica é também preservada pela hierarquia sagrada. Sagrada sim, pois foi da vontade de Jesus que ela existisse. Ele quis fundar a Sua Igreja sobre a rocha de Pedro (Kefas) e dos apóstolos, que são os bispos. Por isso, não há Igreja sem o Papa e sem os bispos. Bem sabia o Senhor que, sendo também humana, Sua Igreja não sobreviveria sem a hierarquia. O desrespeito à hierarquia é um desrespeito àquele que a instituiu e uma ameaça à unidade da Igreja.

Esses são os principais sinais da fé católica, queridos por Jesus e preservados pela Sua Igreja. Quem não guarda essas características não pode se dizer católico.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now